Ξ  

 

 Sobre a Deficiência Visual

ALBINISMO - Manual educativo para professores

| Anny Marquito | Danielle Czmyr | Giselle Silveira | Letícia de Oliveira|
 

Rapazes albinos cegos - Escola para cegos em Bengala, Índia - foto Brent Stirton, 2013
Rapazes albinos cegos - Escola para cegos em Bengala, Índia - foto Brent Stirton, 2013

 

INTRODUÇÃO

Este manual objetiva oferecer informações para docentes, sobre o albinismo: como devem ser tratadas as pessoas que possuem esta condição de natureza genética, conceituando-a e descrevendo-a em seus aspectos biológicos, sociais e emocionais afim de proporcionar instruções aos professores, e também a interessados da comunidade escolar, para a compreensão dos limites biológicos que possuem a pessoa com albinismo difundindo e aplicando tal conhecimento nas relações escolares.

Abordamos também a questão do preconceito existente às pessoas albinas. A escola infelizmente acaba sendo o principal agente de discriminação. Portanto antes de se fazer qualquer observação sobre a pessoa com albinismo, é importante saber do que se trata.

 

ASPECTOS BIOLÓGICOS

O albinismo é a incapacidade que alguns indivíduos têm de produzir a substancia melanina, que desempenha um importante papel, pois ela forma uma barreira natural contra as radiações solares, sendo responsável pelo pigmento que da cor a pele, olhos e pêlos, como também pela proteção da pele.

O albinismo afeta os nervos ópticos, que ligam os olhos ao cérebro. Conseqüentemente, praticamente todos os nervos ópticos se cruzam. As imagens vistas pelos olhos nunca se combinam. O cérebro se adapta rapidamente, deixando uma única imagem, mas há alguns problemas para enxergar em profundidade. Além do nistagmo, alguns albinos apresentam estrabismo, em que um olho parece se mover independentemente do outro; alguns também apresentam hipermetropia, astigmatismo, miopia, transiluminação da íris, nestagismo; Os casos mais freqüentes são de fotofobia e baixa visão.

 

CAUSAS

As causas do Albinismo variam de caso para caso, assim como a intensidade dos seus efeitos. Geralmente o Albinismo é causado por falhas ao acaso (aleatórias) ou herdadas em um ou mais genes que regulam a produção de melanina. Uma pessoa pode ser portadora do gene que causa a doença e não ser albina. Contudo, na fecundação, se os dois genes que contem a mutação se juntarem, as células do bebê em formação não são programadas para produzirem melanina, ou seja, duas pessoas com o gene da doença, mas não sendo albinos, poderão eventualmente ter filhos albinos.

 

TIPOS

Albinismo óculo-cutâneo: Essas pessoas apresentam a pele e os pêlos de cores branca, e olhos de tom rosado. Sofrem de transtornos visuais, fotofobia, movimento involuntário dos olhos ou estrabismo e, em casos mais severos, podem chegar à cegueira. A exposição ao sol não produz o bronzeamento, além de causar queimaduras de graus variados.

Albinismo Ocular: Nessas pessoas, somente os olhos são afetados; a cor da íris pode variar de azul a verde e, em alguns casos, castanho-claro, cuja a detecção se dá mediante exame oftalmológico.

Tratamento: Até hoje, não existe nenhuma maneira de adicionar a melanina em pessoas albinas, ou de forçar o corpo a produzi-la. Porém existem disponíveis tratamentos para as possíveis complicações decorrentes do albinismo; o tratamento precoce com oftalmologistas pode melhorar a visão.

 

A CRIANÇA COM ALBINISMO EM SALA DE AULA.

• Quais são os efeitos do albinismo na visão do meu aluno?

O albinismo pode causar perda parcial de visão. Esses problemas podem ser amenizados com ajuda médica especializada, o que pode ajudar no aprendizado dessas crianças. Os óculos normais e as lupas podem proporcionar uma boa melhoria. O grau de deficiência visual das crianças com albinismo varia muito. A visão da criança também pode variar conforme a luz do sol e a luz artificial. A maneira como cada criança convive com sua deficiência é muito particular e cada caso deve ser avaliado individualmente.


• Um estudante com albinismo pode freqüentar uma sala de aula normal?

Sim, a maioria dos estudantes com albinismo podem participar de aulas normais com uma ajuda apropriada.


• Que modificações necessito fazer em minha sala de aula para ajudar meu aluno?

  • A mudança da carteira da criança para a primeira fila, de modo que ela tenha uma visão melhor do quadro negro.
  • Garantir que a carteira do aluno fique em uma posição que evite luzes fortes ou reflexo das janelas.
  • Aumentar o tamanho das letras de provas e apostilas.
  • As folhas devem possuir linhas muito escuras e mais espaço entre elas para facilitar a escrita dos alunos.


• Que mudanças posso fazer nas provas?

- Amplie as letras da prova,
- Leia a prova para o estudante,
- Permita que o aluno consulte os livros,
- Permita o uso de uma lupa,
- Aumente o limite de tempo da prova.


• Que adaptações um aluno com albinismo precisa para a Educação Física?.

Os professores precisam encontrar maneiras de incluir os alunos com baixa visão em todas as atividades e evitar que se sintam excluídos. O sol é o maior inimigo do aluno, tanto para os olhos como para a pele e precisa ser evitado ao máximo possível. A melhor solução é a prática de atividades em ginásios e piscinas cobertos.

É necessário que as escolas estejam prontas para discutir o assunto e integrar os alunos com albinismo, que frequentemente são vitimas de bullying. O professor irá se deparar com situações de comentários maldosos e apelidos que são o resultado de falta de informação sobre o assunto. Quando o professor esclarece para seus alunos sobre as características das pessoas albinas, estes deixam de ser ofensivos e podem tornar-se úteis aos colegas albinos. O objetivo é desenvolver nas crianças uma atitude positiva e de aceitação quanto as diferenças dos outros. Os alunos com albinismo, como as outras crianças, não querem parecer “diferentes”, muito menos evitadas.


PROFESSOR, FIQUE ATENTO!

As vezes, o aluno albino pode não reagir a comunicações visuais ou sinais a certa distancia, isso se dá, provavelmente, porque ele não pode vê-lo! Pode ser difícil para estas crianças reconhecer expressões faciais e gestos com as mãos. Use sugestões verbais e físicas.

A fotofobia: As crianças com albinismo geralmente possuem fotofobia, uma extrema sensibilidade à claridade.

 

MITOS SOBRE O ALBINISMO.

  • O albinismo não é contagioso – É uma condição hereditária transmitida por genes.
  • Os albinos não enxergam melhor à noite – como não há pigmentação nos olhos, às vezes à noite com menos luz é mais confortável, pois os albinos sofrem com a fotofobia.
  • O albinismo não afeta a capacidade mental e cognitiva do individuo.
  • Os albinos não têm olhos vermelhos – o que ocorre é que sob certas luzes os olhos ficam vermelhos.


Algumas curiosidades:

O albinismo não é uma exclusividade dos humanos, e pode acontecer em animais e plantas.

Os tecidos internos de uma pessoa albina são brancos, até mesmo o cérebro e a espinha dorsal são totalmente brancos; enquanto que nas pessoas que não possuem o albinismo são escuros.


Qual a diferença entre albinismo e vitiligo?

O albinismo é a incapacidade do corpo de produzir melanina, essa substância não pode ser reposta no organismo, é hereditário; enquanto que o vitiligo é uma doença não contagiosa em que ocorre a perda da pigmentação natural da pele. Essa despigmentação ocorre geralmente em forma de manchas brancas de diversos tamanhos, os locais atingidos se tornam extremamente sensíveis a luz do sol, sendo necessário assim como no caso do albinismo a utilização de protetor solar.


Preconceito:

O maior problema enfrentado pelas pessoas albinas é o preconceito. E isso acontece principalmente no ambiente escolar. Muitas pessoas se referem aos albinos com apelidos maldosos, pois essas pessoas podem ter aparências que levem outras a caçoarem delas, é importante que o professor trate a criança albina como outra criança qualquer. .

O objetivo é desenvolver nas crianças uma atitude positiva e de aceitação quanto às diferenças dos outros. É importante a inclusão desses alunos em todas as áreas do currículo escolar de modo que todos os alunos participem de todas as atividades, dentre elas: arte, música, educação física, etc.

O professor de educação física deve ter um cuidado especial com os alunos albinos, pois esses não devem se expor aos raios solares devendo estar sempre protegido com protetor solar, boné e óculos escuros.

 

QUIZZ

1- Qual a principal característica de pessoas albinas?
a) Problemas no sistema imunológico;
b) Dificuldade de produzir melanina no corpo;
c) Problemas cardíacos.
Resposta: 1 – b. A principal característica do albinismo é a baixa produção do pigmento melanina, que dá cor aos olhos, à pele e ao cabelo.
 
2 - Qual destas noções em relação ao albinismo tem algum fundamento?
a) Albinos podem ter filhos albinos;
b) Albinos podem curar doenças;
c) Albinos são frutos de incesto. .
Resposta: 2 – a. Como o albinismo pode ter origem genética, é possível, sim, que albinos tenham filhos albinos. Porém, não é sempre que isso acontece.
 
3 - Quantas pessoas no mundo têm algum tipo de albinismo?
a) Uma em cada 17 mil;
b) Uma em cada 25 mil;
c) Uma em cada 50 mil.
Resposta: 3 – a. O albinismo é relativamente raro. Uma em cada 17 mil pessoas no mundo apresenta uma de suas formas.
 
4 - Qual desses esportes não é recomendado para pessoas albinas?
a) Futebol;
b) Atletismo;
c) Tênis.
Resposta: 4 – c. O tênis não é recomendado para pessoas com albinismo. Como o albinismo causa problemas de visão, pode ser difícil para um albino acompanhar a pequena bola que é utilizada no esporte.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Pessoas com albinismo sempre sofreram problemas para ter uma vida saudável, mas o principal deles é o convívio com as pessoas ao seu redor. Mesmo nessa época de inclusão, albinos são discriminados e excluídos socialmente. Além disso os professores não tem capacidade de lidar com alunos com essa característica genética, desconhecendo fatos importantes para o pleno aprendizado desses jovens. Isso significa que a entrada de crianças com albinismo no ensino regular é dificultado. Pessoas com albinismo tem direitos, e estes devem ser respeitados. Só dessa forma haverá uma sociedade mais justa e em que todos tenham acesso à educação e à cultura.

 

FONTES

  • FRASER, Clarke; JAMES, Nora. Genética Médica. Rio de janeiro. Editora Guanabara, 1991.
  • COMIUR, Ferguson; MITH, S. Fundamentos da Genética Medica. Rio de Janeiro, Editora Guanabara, 3° edição, 1993.
  • MICHALANY, Jorge. Anatomia Patológica Geral: Na Pratica médico cirúrgica. Editora Artes Médicas, 2° Edição, 2000.
  • PESSOA, Oswaldo Frota; OTTO, Paulo Alberto; OTTO, Priscila. Genética Humana e Clínica. Editora Roca, 1° Edição, São Paulo, 1998.
http://www.albinism.org/
http://www.albinoincoerente.com
http://albinosdomeubrasil.blogspot.com

 

ϟ

ALBINISMO
Manual educativo para professores
AUTORAS: Anny Caroline Marquito, Danielle Ferreira Czmyr, Giselle Nayara Silveira, Letícia de Oliveira.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
CURITIBA, 2009

 

Δ

25.Jan.2017
publicado por MJA