Ξ  


 Sobre a Deficiência Visual

 

ORTOQUERATOLOGIA (Ortho-K)





Җ

Ortoqueratologia (Ortho-K)

Clinoptica



A Ortoqueratologia pode ser definida como sendo um tratamento, não-cirúrgico, do erro refractivo (miopia, hipermetropia e astigmatismo), através da adaptação de lentes de contacto rígidas permeáveis ao oxigénio (RPG) de geometria especial.


Como Funciona

A redução do erro refractivo faz-se através da remodelação (compressão) da córnea.

Com o uso nocturno de lentes de contacto especiais, a camada mais superficial da córnea (epitélio) é moldada de maneira a que haja uma redução do erro refractivo. Durante o dia não se usa óculos, nem lentes de contacto, e a visão é nítida.

As lentes devem ser usadas diariamente, no mínimo, durante 6 horas, no entanto, há casos em que o porte pode ser feito dia sim, dia não.


QUEM PODE FAZER ORTOQUERATOLOGIA

Ortoqueratologia é ideal para crianças e adultos com graduações entre as -1,00 e -6,00 dioptrias de miopia e entre as +1,00 e +5,00 dioptrias de hipermetropia (ainda não é possível tratar hipermetropia na Clinoptica).

Actualmente apenas se consegue corrigir astigmatismos até -2,50 dioptrias, no entanto, estão a ser desenvol-vidos novos desenhos de lentes para corrigir altos astigmatismos e presbiopia (vista cansada).

Os candidatos a este tratamento não podem sofrer de nenhuma patologia ocular.


Vantagens da Ortoqueratologia

• Boa visão sem óculos ou sem lentes de contacto durante o dia.
• Não é um procedimento cirúrgico.
• É reversível (se deixar de usar as lentes o erro refractivo volta ao valor original, o que parece ser uma desvantagem é na realidade a maior vantagem, pois não há uma invasão dos tecidos da córnea, fazendo com que não haja praticamente efeitos secundários).
• É confortável (as lentes são usadas durante o sono).
• Indicadas para quem não tolera as lentes de contacto devido a problemas alérgicos, olho seco, locais de trabalho empoeirados ou factores ambientais.
• Ideal para quem pratica desporto (principalmente de contacto ou aquáticos).
• Pode atrasar o desenvolvimento da miopia em crianças.
• É mais barato que a cirurgia.


Desvantagens:

• São necessárias várias consultas.
• Durante os primeiros dias de uso das lentes a acuidade visual pode ser insatisfatória e flutuante.
• É necessário colocar sempre as lentes, de contrário a córnea volta à sua forma original.
• A taxa de sucesso é alta, mas nem sempre pode ser garantida.
• A duração do tratamento é variável de pessoa para pessoa.
• É necessário cumprir rigorosamente todas as instruções dadas, no que respeita às visitas de seguimento bem como aos procedimentos de limpeza.


RISCOS DA ORTOQUERATOLOGIA

A ortoqueratologia já é praticada desde o início dos anos 60 e estudos científicos não documentaram qualquer risco para a saúde ocular.

No entanto, todas as lentes de contacto, quer sejam de porte diurno, quer sejam de porte nocturno, têm sempre um risco associado de irritação ocular, que pode ser causada por alergias, redução dos níveis de oxigénio ou por estimulação mecânica. Com a remoção das lentes estes sinais rapidamente desaparecem.

A probabilidade de acontecerem complicações mais graves como infecções ou úlceras corneanas é muito baixa. Normalmente estão associadas ao não cumprimento das regras de limpeza das lentes de contacto (por ex. usar água da torneira para limpar as lentes).

A distorção visual pode ocorrer temporariamente caso a lente se descentre durante a noite implicando uma diminuição da visão, mesmo com óculos.


PROTOCOLO DE ADAPTAÇÃO

  • 1ª VISITA
    Avaliação do erro refractivo, análise topográfica da córnea e análise da saúde ocular. Encomenda das lentes.
  • 2ª VISITA
    Ensaio, durante 30 minutos, das lentes. Avaliação da adaptação. Ensino da colocação e remoção das lentes bem como dos procedimentos de limpeza. Dorme com as lentes.
  • 3ª VISITA
    Após a 1ª noite de uso, logo pela manhã, com as lentes colocadas, avalia-se a adaptação das mesmas. Removem-se as lentes e avalia-se o erro refractivo, análise topográfica e a saúde ocular.
  • 4ª VISITA
    Após uma semana de uso. O procedimento é igual ao da 3ª visita. Por esta altura já deve haver uma estabilidade visual, caso não exista serão recalculadas novas lentes para uma nova adaptação.
  • 5ª VISITA
    Após 1 mês de uso, ao final do dia, sem lentes de contacto. A visão deve ser satisfatória.
  • 6ª VISITA
    Após 3 meses de uso.
  • 7ª VISITA
    Após 6 meses de uso.
  • 8ª VISITA
    Após 1 ano de uso.
  • VISITAS DE SEGUIMENTO DE 6 EM 6 MESES


Δ

[27.Fev.2015]
publicado por MJA


Җ

Modificação Corneal Controlada - CKR -

Centro Clínico INTEVI
 

Resultado de imagem para CRT Corneal Refractive Therapy

 

1. Introdução

Aproximadamente 80% das nossas consultas representam deficiências visuais associadas a problemas refractivos, ou seja a potencia ocular é inadequada para a realização da tarefa em questão, tais como:

  • Miopia
  • Hipermetropia
  • Astigmatismo
  • Presbiopia (Vista cansada)

A presença de qualquer um dos erros refractivos mencionados anteriormente, traduz a variação da potencia ocular total do indivíduo. Assim, por excesso temos Miopia, por defeito Hipermetropia ou Presbiopia e qualquer uma das anteriores segundo uma direcção Astigmatismo.

2. Córnea

Trata-se da estrutura ocular responsável por 80% da potência total e apresenta uma característica importante relacionada com cada um dos erros refractivos anteriormente mencionados.

- Na Miopia é mais encurvada, que traduz mais potência ocular.
- Na Hipermetropia é mais plana, que traduz menos potencia ocular.
- No astigmatismo é mais ou menos encurvada em uma ou mais direcções, o que traduz uma desigual distribuição da potência ocular.

3. Objectivos

Pretendemos devolver-lhe a visão corrigindo a forma dos seus olhos através de um processo de aplanação, encurvamento ou misto corneal, consoante seja o seu caso de Miopia, Hipermetropia/Presbiopia ou Astigmatismo.

4. Procedimento

Antes de darmos início a qualquer procedimento, em primeiro lugar, devemos provar que possui saúde ocular suficiente. Através de uma avaliação exaustiva, por meio de exames complementares determinamos a positividade do seu caso e caso este seja favorável, passamos à determinação dos moldes corneais, semelhantes a uma lente de contacto e que deverá usar enquanto dorme para dar início ao processo de correcção corneal e de restituição da potencia ocular.

Ao levantar-se e após a sua remoção, será confrontado com uma espectacular sensação de boa visão e sem a necessidade de usar óculos ou lentes de contacto para ver melhor. A sua utilização frequente, garante os resultados alcançados e inibirá qualquer possível regressão futura.

5. Vantagens

  • Adaptação imediata.
  • Recuperação rápida.
  • Procedimento simples e confortável.
  • Ideal para pacientes que não queiram ou não possam recorrer a cirurgia.
  • Pacientes que pretendam ingressar em uma profissão onde a visão constitui um item de selecção.
  • Pacientes que pretendam liberdade visual em tarefas de lazer como fazer praia, prática de desporto, etc.
  • O seu custo ridiculariza a aquisição de uns óculos com lentes progressivas nos casos de dificuldade visual ao perto e ao longe.


6. Comentários finais.

Sabemos, que apresentamos uma solução inovadora no nosso país e que para nós representa o culminar de um trabalho de investigação nos Estados Unidos de aproximadamente quarenta anos e que uma vez seja recomendada para os seus olhos, será para toda a sua vida.

Contráriamente ao que possa parecer, atendendo tratar-se de uma terapia não cirúrgica e que muitos possam pensar que não esteja ao seu alcance, foi nossa prioridade criar condições favoráveis para o seu acesso, inclusive para os casos mais difíceis.

Em primeiro lugar, necessitamos determinar a positividade do seu caso e o custo da sua terapia como entenderá, irá depender do número de visitas que necessitar para a sua conclusão, do tipo de erro refractivo que possui e da sua quantidade.

A consulta de avaliação segue um protocolo restrito e os exames estão organizados por ordem de relevância, quando finalizada e com resultado favorável, será apresentada uma proposta de terapia para o seu caso que incluirá a programação das suas visitas, custos e formas de pagamento.
 

Δ

[27.Fev.2015]
publicado por MJA


Җ

Orthokératologie (Ortho-K)

CRT Corneal Refractive Therapy
GM Gentle Molding
 

Resultado de imagem para orthokératologie fr
 

Les anciens Chinois mettaient de petits sacs de sable sur leurs paupières, la nuit, pour diminuer leur myopie et pour mieux voir durant la journée. C'est une notion classique qui est sans doute une des premières tentatives de remodelage cornéen. Amedeo Modigliani


Définition
On appelle orthokératologie la technique qui consiste à porter des lentilles flexibles la nuit pour aplatir la cornée et ainsi diminuer ou annuler la myopie durant la journée. Cette technique prônée par les optométristes anglo-saxons depuis les années 60, mérite qu'on l'étudie.

On différencie l'orthokératologie (ou ortho-k ou gentle molding) qui utilise des lentilles de différents fabricants, de la CRT (corneal refractive therapy) qui est réalisée par une seule catégorie de lentilles (Paragon) approuvée par la FDA (Food and Drug Administration) américaine pour le port nocturne et le remodelage cornéen. La FDA a accepté le port nocturne pour des myopies jusqu'à -6 dioptries et des astigmatismes jusqu'à 1,75 dioptries. Ces valeurs sont considérées comme un peu excessives par les professionnels.

De nos jours
Le port de certaines lentilles flexibles perméables à l'oxygène permet un aplatissement transitoire de la cornée (de 0,12 à 0,19 microns) qui est modifiée dans ses couches les plus superficielles. Cela est tout à fait visible sur les cornéo-topographes qui sont indispensables pour une telle adaptation de lentilles.

On utilise des lentilles à géométrie inversée de type tétracourbe qu'il faut porter au moins 6 à 8 heures chaque nuit pour avoir un effet réfractif. On obtient une diminution ou bien une disparition de la myopie pendant environ 24 à 48 heures, mais cela ne s'adresse qu'aux petites myopies inférieures ou égales à 4 dioptries, avec un astigmatisme direct ne dépassant pas 1,5 dioptries ou un astigmatisme inverse maximum de 0,75 dioptrie.

Il est conseillé d'utiliser du hyaluronate de sodium pour la pose des lentilles.

Évolution
Il faut souvent de nombreux essais pour obtenir une action satisfaisante. L'arrêt du port nocture entraîne une réapparition de la myopie, la cornée reprenant sa forme initiale. On décrit parfois le développement d'un anneau cornéen pigmenté périphérique.

Le développement de la chirurgie réfractive, laser excimer et lasik, ainsi que les lentilles à port permanent (silico-hydrogel, Night and Day, et PureVision) ainsi que les lentilles rigides à fort Dk sont les concurrents de cette technique qui met en avant son côté réversible.

Pour qui?
Il faut éviter d'équiper les enfants car le risque d'infection n'est pas nul, ainsi que les porteurs d'anomalies cornéennes (oeil sec, dystrophie cornéenne, kératocône, grande pupille...). Seul un médecin ophtalmologiste est capable de faire un diagnostic médical et de voir s'il n'y a pas de contre-indication.

On peut penser que la technique s'adresse aux adultes faiblement myopes et astigmates, ne désirant pas se faire opérer, ne supportant pas les lentilles diurnes, ni les lunettes, ni les lentilles à port continu.

Tout équipement en dehors du cadre médical entraîne bien sûr des risques médico-légaux certains et des conséquences sévères, avec la notion de perte de chance pour le patient.

Qu'en penser?
Il faut savoir que l'orthokératologie coûte de $1000 à $1500 aux USA, n'est pas remboursée, et n'est pas dénuée de risques. Nous pouvons en effet évoquer les dramatiques ulcères de cornée à Pseudomonas rapportés par les équipes Chinoises (voir la bibliographie).

La technique est assez astreignante (mettre des lentilles flexibles tous les soirs, faire des contrôles souvent), et le moindre arrêt voit revenir la myopie initiale.

L'ortho-k a du mal à se développer en France car les ophtalmologistes ont plutôt tendance à faire confiance aux nouvelles lentilles ou à la chirurgie réfractive qui devrait être remboursée selon le Ministre de la Santé.

Que sera l'avenir de l'orthokératologie ? Il semble qu'elle ait toujours une place de choix dans le monde optométrique anglo-saxon (non médecins) qui n'a pas accès à la chirurgie réfractive, mais ses indications sont limitées et ses bénéfices temporaires.

Bibliographie

  • Alharbi A, Swarbrick HA. The effects of overnight orthokeratology lens wear on corneal thickness. Invest Ophthalmol Vis Sci. 2003 Jun;44(6):2518-23.
  • Hsiao CH, Yeh LK, Chao AN, Chen YF, Lin KK. Pseudomonas aeruginosa corneal ulcer related to overnight orthokeratology. Chang Gung Med J. 2004 Mar;27(3):182-7.
  • Liang JB, Chou PI, Wu R, Lee YM. Corneal iron ring associated with orthokeratology. J Cataract Refract Surg. 2003 Mar;29(3):624-6.
  • Xuguang S, Lin C, Yan Z, Zhiqun W, Ran L, Shiyun L, Xiuying J. Acanthamoeba keratitis as a complication of orthokeratology. Am J Ophthalmol. 2003 Dec;136(6):1159-61.
  • Young AL, Leung AT, Cheng LL, Law RW, Wong AK, Lam DS. Orthokeratology lens-related corneal ulcers in children: a case series. Ophthalmology. 2004 Mar;111(3):590-5.
     

Δ

[27.Fev.2015]
publicado por MJA